quarta-feira, dezembro 31, 2008

terça-feira, dezembro 30, 2008

Pequenas grandes coisas

São realmente pequenas coisas que valem pelo que valem.
Para qualquer pessoa, são apenas uns pequenos objectos decorativos, ou não, que se encontram em qualquer local.
Para quem as deu e as recebeu, têm um valor tão grande, que só cada uma de nós o pode sentir.
Foram trocas simbólicas, em alguns dos nossos encontros, mas que têm um sabor a partilha, amizade, cumplicidade, sofrimento, risadas, lágrimas de alegria e tristeza, um sem número de significados e sentimentos.
Faltam poucas horas para o Ano de 2008 chegar ao fim. Para muitas de nós, foi um renascer de novo e o criar de uma nova família. A todas, mas a todas, sem excepção, muito obrigada por me terem deixado entrar nas vossas vidas e vos poder ter como Amigas.
Um Novo Ano de 2009 com tudo de bom que vos possa acontecer, muita paz e muita saúde, bem do fundo do coração.

Cinda (para a Gosma Maria Laurinda)



domingo, dezembro 28, 2008

Parabéns


Hoje vou dedicar esta foto do mar que tanto gosto, a todos os aniversariantes.

Muito em especial, a uma mulher, que como eu, o bicho lhe bateu à porta e está em tratamentos. Não vou citar nomes, até porque não foi ela que me transmitiu a situação que está a viver. Estou aqui públicamente, a desejar-lhe tudo de bom, para que consiga vencer como eu venci, e que, estou cá para lhe dar a maior força e tudo o mais que a possa ajudar a superar estes momentos menos bons. Não tenhas receio de pedir ajuda, se for necessário. Por vezes falar é uma boa terapia. Um Ano Novo com tudo de bom que possas desejar. Uma beijoca. Cinda.

sexta-feira, dezembro 26, 2008

Faz hoje um ano

Mais um ano que está quase a chegar ao fim. O Natal já passou, apesar de ainda estarmos em festa, porque falta o Final de Ano.
Parece que o tempo vai num ápice.
Foi há um ano, que eu comecei com o meu cantinho na net. Após várias passagens pelo blogue da Aidinha, e outros a partir do dela, achei que podia partilhar a minha experiência de vida com todos aqueles que me quisessem visitar.
Foi precisamente no dia 26 de Dezembro de 2007, que criei o meu blogue e fiz o meu primeiro post. Na altura, pensei que não seria muito visitada, até porque não estava a ser seguida nos mesmos hospitais que as outras bloguistas, e também não estava muito dentro do mundo da blogosfera.
Enganei-me redondamente. Logo no primeiro post, tive um visitante que também teve um problema oncológico e que o partilhou comigo. Como não podia deixar de ser, a minha amiga Salomé, (aquela que me aturou às compras, na inauguração do Corte Inglês, no dia seguinte à minha biopsia), que só me dizia para que é que estás a comprar tanta camisola.
Quando fiz o meu terceiro post, tive a visita da Isa Guerreiro, da Alda, da Loulou, da Aida e da minha amiga Augusta, que conheci nos hospital, e navegante do mesmo barco. Fiquei muito feliz, até porque a Isa, colocou o meu link no seu blogue, para que me pudessem visitar e conhecer.
Os dias foram passando, e cada vez mais Amigas me visitavam e me davam a maior força para continuar. Se eu já me sentia com muita força e muita vontade de viver, a partir dessa altura, tudo teve mais sentido e senti mais vontade de ajudar quem estava menos bem.
As Amigas foram aparecendo, cada vez mais, fomos trocando os contactos e conversávamos como se há muito nos conhecêssemos.
A primeira a conhecer pessoalmente, foi a Sónia. Foi em vésperas de Páscoa. Conversámos ao telefone e como é da Tocha, fui conhecê-la pessoalmente. Foi uma experiência muito gira, porque sem nunca nos termos visto, começámos logo a conversar de tudo.
As postagens foram surgindo, dia após dia, e cada vez me sentia mais próximo de todas e com vontade de as conhecer pessoalmente.
Até que um dia as conheci, em casa da Aida, que foi a Amiga que eu sempre visitei, e me incentivou a criar o este espaço.
A todas, sem excepção, eu considero a minha segunda família, porque tive a possibilidade de vos poder escolher como tal.
Um bem-haja a todas, e se algumas das minhas maluquices, vos tenha ofendido ou caído menos bem, não foi por mal.
Eu sou mesmo assim, como vocês me conhecem.
Gosto muito, muito de todas vós.
Cinda

terça-feira, dezembro 23, 2008

Feliz Natal


Natal

É para ser todos os dias…Nos nossos corações…nas nossas mentes…
O Natal não está nos presentes…Está na ajuda ao próximo, na compreensão…
É dar-mos as mãos e sentirmo-nos irmãos…
Quando isto acontece…É NATAL!!!
Para todos o melhor Natal.

segunda-feira, dezembro 22, 2008

Gigi


Olá , Olá!!!
Só vim dizer que gostei de ouvir a voz confiante da nossa "Peixa Gigi".
Já fez a quimio hoje e dormiu que se fartou.
Está cheia de garra à espera de amanhã lhe darem as suas células novas.
Força e garra é coisa que não lhe falta.
Um beijão do tamanho do mundo.

sexta-feira, dezembro 19, 2008

Terra dos sonhos




Como sou uma menina muito curiosa, e nunca vou deixar de ser criança, hoje fui fazer uma visita a um local mágico.

Quem vem seguindo as minhas peripécias, deve ter visto que no Verão, fiz um post que tinha como título "Banhos Públicos".
Hoje, esse mesmo espaço está cheio de sonhos, do nosso imaginário, e cá a curiosa da Cinda, teve que o partilhar com os actores que o fazem e com as crianças, que se deliciam com toda aquela fantasia.
O Natal, é uma época mágica para muitos, mas para outros nem por isso...... assim vou dedicar este post todos aqueles que neste momento não podem viver como queriam esta magia, muito em especial à nossa peixa Gigi e ao Caden e Jen.
Gosto muito de todos vós.
PS: dia 24 o programa "Praça da Alegria" vai ser feito em directo da Terra dos Sonhos.
www.terradossonhos.com

domingo, dezembro 07, 2008

Dia de gravação




É verdade, mais um dia em Rio Maior. Hoje somos mais, até porque estão a ser gravadas as vozes de fundo. Está a correr bem, até porque todos se estão a portar à altura de verdadeiros voz off.
Como sempre o comandante sentado á mesa dando as suas dicas e ajudando , para que tudo possa correr como verdadeiras/os profissionais.
Na sala reina o silêncio absoluto, para que tudo corra na perfeição.
Hoje temos vários fotógrafos para que este dia fique bem memorizado. Todos eles sofreram indirectamente todo este drama como maridos e filhos.
A boa disposição reina na sala, todas neste momento estão bem felizmente.
Esperem para ver..........

sábado, dezembro 06, 2008

Com ou sem cão, vamos lá caçar mais um Domingo

Mais um fim de semana. Este também é grande e mais perto do Natal.
Frio, chuva e alguma nostalgia.Vamos lá ver se no Domingo as coisas ficam mais animadas.
Mudando de assunto, gostei do que li na revista Única, que acompanha o jornal Expresso.
El comandante, está mesmo com ar de quem não pensou na encrenca em que se ia meter.
Mulheres como estas vão dar muito trabalho, mas também lhe vão dmuita estofa.
Bjcs

quarta-feira, dezembro 03, 2008

Era uma vez...


No dia 4 de Dezembro de 1960, no Largo Paulino da Cunha e Silva, no nº 19- 2º , na cidade de Santarém, por volta das 5 horas da madrugada, nasceu uma menina, muito gorducha e grandalhona.
Deu uma trabalheira à mãe, porque era muito irrequieta, fazia alergias por tudo e por nada e passava a vida no hospital a pregar grandes sustos, com convulsões febris.
Era uma menina muito mimada, pois era os olhos do seu pai.
Entretanto essa menina cresceu.
Como nessa altura não havia infantários, teve de ir para um colégio de freiras. Passava muito tempo de castigo, porque nunca estava sossegada à mesa e batia em todos os rapazes. Nos dias em que não ia para a escola passava as tardes a descer o corrimão do prédio, com o irmão mais novo dois anos e nove meses, e a brincar na rua com os meninos do bairro.
Nunca teve medo de nada, só os cães lhe faziam um pouco de espécie, coisa que hoje é a sua paixão.
Os anos foram passando, e, porque o pai estava muitas vezes ausente, por causa da guerra colonial, mudou-se com a mãe e o irmão para Ovar, quando tinha dez anos de idade. Aí viveu a sua adolescência, fez as suas grandes amizades, era terrível e refilona, mas sempre muito amiga do seu amigo. Apaixonou-se pelo pai da sua filha, quando tinha 14 anos. Casou, decidiu estudar artes e foi trabalhar para outra actividade, porque as artes neste país são uma utopia.
Aos 31 amos foi mãe de uma menina muito bonita que é a sua razão e a sua força de viver. Aos 45 anos foi-lhe diagnosticado cancro da mama, enfrentou todo o processo de remoção e tratamento e hoje está a contar-vos muito resumidamente, a sua história porque gosta muito de viver e de todas e todos vós, que me ajudaram e ajudam, nesta luta que vamos vencer.
É esta a forma de agradecer todos aqueles, desde os profissionais de saúde, amigos, familiares, muito em especial aos meus Pais e à minha Filhota, todo o apoio e a força que me têm dado, ao longo destes dois anos e meio de vitórias.

Gosto muito de todos vós.

terça-feira, dezembro 02, 2008

Dia Internacional para a Abolição da Escravatura 2 de Dezembro


Abolição da escravatura (1869)
"Fica abolido o estado de escravidão em todos os territórios da monarquia portuguesa desde o dia da publicação do presente Decreto. Todos os indivíduos dos dois sexos, sem excepção alguma, que no mencionado dia se acharem na condição de escravos passarão à de libertos e gozarão de todos os direitos e ficarão sujeitos a todos os deveres concedidos e impostos aos libertos pelo Decreto de 19 de Dezembro de 1854."