segunda-feira, março 16, 2009

Será que tudo vai mudar????

Mais uma segunda-feira. Mais uma semana de labuta para uns e desespero para outros.
Já não consigo ouvir as notícias. Já não se ouve uma notícia que nos proporcione um sorriso nos lábios.
Não sei o que vai acontecer, daqui para a frente, mas que está tudo tão negro e sem se conseguir ver um raio de luz, lá isso está.
Hoje dei comigo a pensar, como será o futuro dos nossos filhos, que se esforçam a estudar para entrar numa faculdade!!!! Será que vale a pena todo este esforço??? Será que, daqui a meia dúzia de anos, se possam sentir realizados e felizes???
São pessoas que por vergonha não mostram a cara, a pedir um pedaço de pão para matar a fome.
Tão perto de mim, e eu não consegui ver.
Hoje fiquei triste ao ver a pobreza escondida, que nunca pensei.
Desculpem lá tudo isto, mas tinha que partilhar convosco esta minha angustia e falta de capacidade para poder ajudar.
Amigos, deixemos de olhar tanto para o nosso umbigo e olhemos para o nosso parceiro do lado. Quem sabe se um dia, não será ele a pegar na nossa mão???

4 comentários:

imel disse...

É mesmo Cinda! Ainda ontem falava sobre o mesmo assunto com uma colega minha. Também penso muito no futuro destas novas gerações e não me parece que seja risonho. Quem tem filhos acresce mais essa preocupação. E daqui a uns anos o que será deles? É mais uma questão no meio de tantas.
Até lá vamos acreditar que tudo é ciclico e como tal a seguir à tempestade vem a bonança.

Beijinhos para ti e tua linda filhota.

IsaLenca disse...

Como diz a Imela vamos acreditar que tudo é cíclico. Há que ter esperança sempre no futuro dos filhotes. Temos é de saber orientá-los o melhor possível para que eles possam seguir em frente, mesmo que os obstáculos sejam imensos!
Bjs

Ana Paula disse...

Bom dia Cinda, não podemos perder a esperança, eu acredito que melhores dias virão, é claro que mesmo acreditando não deixo de ficar preocupada com o futuro das minhas filhas.
Beijinhos

AnaMar (pseudónimo) disse...

Tudo vale a pena. Mas há momentos assim de desalento, que também tenho. Não esqueçamos que o dia seguinte melhora. Porque podemos (e devemos )fazer a diferença. Beijinhos.