segunda-feira, novembro 29, 2010

Como começou Rosa Esperança

Foi nesse fim de tarde, a 27 de Setembro de 2008, em mais um encontro das Amigas do peito e do Coração nas Caldas Da Rainha, em casa da nossa querida Alda que o Rui Germano apareceu e um tanto a medo, nos lançou o repto de participarmos num laboratório de teatro.
O tema era, inevitavelmente, o Cancro da Mama. Na altura todas ficamos um pouco baralhadas sem saber o que responder. As desculpas eram as mais variadas, para não dizermos declaradamente que não.
Por parte do Rui tudo o que nós objectávamos, não tinha importância, contrapunha sempre, arranjava solução e como gerir a situação.
No final, umas mais e outras menos entusiasmadas, ou se quisermos crentes da proposta feita, lá acabámos por aceitar com mil e umas condicionantes.
Como Outubro é o mês do Cancro da Mama, duas semanas depois do desafio lançado, começaram os encontros ao domingo à tarde, no Cine Teatro Casimiros, a sede do "Quem Não Tem Cão". As mulheres foram aparecendo semana após semana, foram contando as suas histórias de luta contra o Cancro e a peça escrita começou a ganhar forma.
Com o avançar do tempo, algumas foram desistindo, até ficar o grupo final que hoje continua de pé a querer levar por esse País fora  as histórias de vida e de luta, ao longo destes últimos anos.
São SETE MULHERES, todas elas com a sua profissão, não são actrizes, não têm pretensão a isso, mas querem mostrar a todas as pessoas que as queiram ver e ouvir, que o Cancro tem cura, quando detectado a tempo e não fugir à realidade quando nos bater à porta.
Não somos apenas sete. Somos dezenas de homens e mulheres, que em conjunto, damos vida e corpo a este projecto e muitos mais se vão associando à medida que o tempo vai avançando.
E é esta a origem e a história de Rosa Esperança.

sábado, novembro 27, 2010

E foi assim o resto da semana

Mais uma semana vai acabar e esta, com um sabor muito especial. Mais um almoço do Gang, para o qual vou a caminho, desta feita o de Natal.
Quanto ao estado de saúde do meu tio, as coisas evoluíram favoravelmente, estando já em casa desde quinta-feira a recuperar bem e a ficar muito mimalho.
Os resultados das minhas ecografias foram os melhores, o médico desta vez foi um experto em mamas e um exame feito com todo o cuidado.
Já sinto falta das visitas às enfermarias e as conversas com todas aquelas pessoas, na sua maioria a aguardar por desfechos menos bons, mas que me encheram a alma e me ajudaram a ver ainda com mais sensibilidade o mundo e a vida.
Ontem fui ver um espectáculo de musica e dança, feito por moços e moças estudantes e amadores na matéria que muito bem representaram e mostraram como gostam do que fazem.
Dois dos bailarinos são colegas de turma da minha filha, o que me leva a crer que os doentes das enfermarias por onde eles passarem vão-se recuperar muito rapidamente com toda a alegria e vivacidade que têm a cantar e a dançar.
Continuação de um bom sábado e logo mais volto para contar como correu o almoço.

segunda-feira, novembro 22, 2010

Foi assim que eu vi.......

O dia hoje começou mais alegre, já com algum sol e a chuva acabou por não cair. Mais uma semana se inicia e ainda não há certezas de quando volta para casa o nosso doente. Ontem já retirou as sondas e toda a artilharia que o rodeava, sinal de que as coisas estão a evoluir favoravelmente, mas ainda cedo para regressar a casa, porque ainda tem de estar com oxigénio de vez em quando.
Neste momento está tudo muito calmo, o que é óptimo para quem está em convalescença e para quem está à espera de entrar no bloco. Já fiz a minha ronda pelas enfermarias e fiquei muito satisfeita por as pessoas dizerem que já sentiam a minha falta. Tambémm eu vou ter saudades destes dias um tanto cansativos mas que me enchem o coração por saber que estou a fazer algo que pode ajudar.
A maioria das pessoas são de idade mais avançada e quase todas com problemas de diabetes. As coisas acontecem e deixam andar até que chegam a situações de amputação, quando poderiam ter sido resolvidas de outra forma. Diabetes e má circulação não combinam nada bem.
Entretanto nos dois últimos dias, aproveitei para ir a duas grandes superfícies aqui no Porto, ver algumas coisas para o Natal e as suas iluminações. No sábado, enquanto fui comprar uma água no super-mercado, a Margarida ficou a observar as pessoas que passavam e chegámos a uma triste conclusão. As pessoas passam umas pelas outras e não conseguimos ver um sorriso nos lábios ou sentir felicidade nas suas caras.
Deu que pensar naquele momento. Sentimos uma sociedade triste e quase fútil.
A título de brincadeira, disse para a Margarida que as pessoas deviam estar sempre ao pé de nós. Na realidade as pessoas não vivem a vida, mas sim deixam-se levar por ela. Senti ainda mais vontade de viver, depois de ter observado tudo isto e de ontem, quando passeava com a minha filha no Arrábida apercebi-me exactamente que estava a acontecer o mesmo com todas as pessoas que víamos.
Apenas se viam sorrisos nos lábios das crianças e se corriam ou faziam algo de diferente, os pais repreendiam de imediato.
A vida é tão bonita e tão curta para não ser aproveitada e vivida com o máximo de carinho e compreenção.

sexta-feira, novembro 19, 2010

Em directo do Hospital Santos Silva

Neste momento estou na enfermaria do hospital junto ao meu tio. Hoje já está na companhia dos colegas, mas ainda muito sonolento e com imensos tubos e medicação. Neste momento estão a ligar a máquina para controlar a saída de medicação sempre na quantidade certa. Segundo a enfermeira tem o nome de perfusora. Para algumas de nós já nos é familiar, pois é aquela que se utiliza quando fazemos químio.
As coisas estão a evoluir favoravelmente e se tudo correr bem amanhã já pode beber alguns líquidos.
Foi uma cirurgia um tanto complicada, uma vez que o corte está ao longo do tronco e na zona ilíaca das duas pernas. Nem ele sabia bem do estado de saúde e dos riscos que corria.
Vamos acreditar que tudo vai correr bem.
Quanto aos companheiros de enfermaria, está tudo bem disposto e a correr bem.
As camas estão todas ocupadas e são todos muito solidários. Já me sinto a fazer parte desta família, com quem vou conversando e dando o meu apoio dentro do possível.
Um bom fim-de-semana e quando houver mais alguma coisa de novo eu volto.

quinta-feira, novembro 18, 2010

Mais notícias e tudo a correr bem

Hoje estive novamente no hospital, e as notícias ainda são muito poucas.O meu tio continua na UCPA e ainda com muita maquineta e um tanto fraquinho. Já deu para falar um pouco com a minha tia mas ainda muito cansado e sem se poder adiantar muito mais. Amanhã logo saberemos se terá alta para regressar à enfermaria ou se ainda precisará de mais algum tempo naquele espaço repleto de máquinas e com os técnicos sempre em alerta.
Vamos acreditar que tudo vai correr bem e amanhã já estarei com notícias mais animadoras.
Obrigada a todos que estão a direccionar as suas energias para que tudo corra pelo melhor, assim como a toda a equipe do Hospital Santos Silva, que apesar de estar muito degradado e neste momento em obras, são muito bons profissionais.
Prometo que amanhã volto.

quarta-feira, novembro 17, 2010

De volta para dar notícias

Foram uns dias afastada dos blogues, do facebook e um pouco de todos.
Pois agora já posso contar a razão deste afastamento. Muitas já sabem mas estes últimos dias têm sido de uma certa apreensão. Tenho estado todos os dias no hospital a fazer companhia à minha tia, que algumas de vós já conhece, porque o marido tem estado internado e hoje foi submetido a uma cirurgia vascular.
Segundo o cirurgião correu bem a cirurgia mas ainda vamos ter que esperar 48 horas até ver... se terá de voltar ou não ao bloco na próxima sexta-feira.
As artérias estavam completamente obstruídas, houve a necessidade de colocação de um by-pass e agora vamos ver.
Vamos todos fazer uma corrente muito forte para que tudo dê certo e depressa tudo se resolva. Quando tiver mais notícias eu volto.
Continuação de uma boa semana e façam o favor de viver a vida e ser felizes.

sexta-feira, novembro 05, 2010

Fim-de-semana e Rosa Esperança nas Caldas da Rainha

Hoje é sexta-feira, um dia lindo de sol e avizinha-se um final de semana sem chuvas nem ventos.
Rosa Esperança vai fazer a sua apresentação nas Caldas da Rainha, a última de este ano.
Convido todos os amigos e conhecidos a visitarem aquela bonita cidade e ficarem até às 21h para assistir ao espectáculo em que todos nós queremos passar a palavra de que cancro não é sinónimo de morte quando detectado a tempo e a força e a vontade de viver, faz com que superemos todas as adversidades que se deparam na vida.
Quando queremos de verdade, o longe se faz perto e todos podemos estar presentes.

terça-feira, novembro 02, 2010

Hoje foi dia de consulta e picadela

Hoje fomos à consulta de rotina. Fomos, porque a Margarida também foi.
As coisas vão indo, nada de especial a assinalar. A Margarida volta em Dezembro para novos exames e análises, uma vez que os marcadores andam sempre marados e a médica não facilita. A mama esquerda continua lá com aquelas coisitas que nem para trás nem para a frente, mas que têm de ser vigiadas.
Como já vos tinha dito, as minhas entranhas estão boas, a mama recauchutada tem um ou outro gânglio axilar para ser vigiado, a reconstruída encontra-se bem e recomenda-se, o pulmão está bom para o grito, mas os ossos é que estão a chatear.
Como nada me falta, e tudo à grande, tenho três hérnias na cervical e três na lombar, para não falar na osteoporose que se agravou, essencialmente na coluna.
Lá terei que tomar mais uns tantos comprimidos e umas passeatas em jejum, para ver se a coisa fica melhor.
Quanto ao resto, tudo menos mal, cá se vai andando com a cabeça entre as orelhas e mais uma daquelas picas que até poêm os cabelos em pé a um careca.
Há que ter paciência e daqui a 12 semanas ir levar com outra.