terça-feira, julho 05, 2011

O dia da execução do bicho

5 de Julho de 2006

Meio-dia, marcava o relógio na parede do bloco operatório.

Sentia-me muito bem-disposta, mesmo depois de ter ouvido a médica radiologista dizer que eram vários os bicharocos. Os médicos e enfermeiros muito simpáticos sempre em amena conversa. A dada altura o anestesista pediu para contar até três e foi uma pedrada até às seis da tarde.

Foram seis horas de corta e coze e decisões que tiveram de ser tomadas sem que se tivesse previsto. Uma equipa excelente, a quem muito agradeço e por quem tenho um certo carinho. O bicho foi exterminado sendo a sua raça do piorio, tendo-se obtido os seguintes resultados:

-Receptores estrogénicos: positivos em mais de 90/% da população celular neoplásica

-Receptores progesterónicos: Positivos, igualmente, em mais de 90/% da mesma população celular.

-c-erbB-2- Negativo (score 1+)

Conclusão: Carcinoma ductal invasor, de alto grau nuclear, grau III, constituído por três nódulos tumorais independentes, o maior com 23mm e metástases em três dos 28 gânglios axilares dissecados.

Depois de toda esta análise, seguiram-se seis ciclos de quimioterapia, três com FEC 100 e mais três com Taxotere que me deram cabo do meu rico esqueleto.

Pois é!!!!! E aqui estou eu, viva e com a barriga toda esburacada das injecções e comprimidos à mistura para vos contar esta história e muitas mais que por mim se passaram e ainda virão a acontecer. A vida é muito bonita para que desistamos de lutar por ela.

A barreira dos cinco anos está quase lá e tenho a certeza que vou ultrapassar.

6 comentários:

Nela disse...

Y E S ! ! !

A bem dizer, já era!
Beijocas e parabéns! Comemora, que mereces!

Colibri disse...

Nem imagina como fico feliz ao ver o seu optimismo! É assim mesmo! Força! Aquilo em que acreditamos, pensamos ou tememos, torna-se realidade: é a lei da atracção dos semelhantes. Para se curar de uma doença, você pode recorrer a vários métodos tradicionais, sejam eles religiosos, holísticos, alternativos, ou mesmo através de auto-sugestão, mas jamais se curará do acto de criar doenças enquanto acreditar que as mesmas têm vida própria e que, a qualquer momento, poderá surgir uma nova para derrubá-lo.
Compreender que a doença é o reflexo do seu comportamento, palavras, pensamentos e sentimentos, já será um grande passo para a sua evolução, mas aprender a amadurecer o amor, o desapegado e exercitar os pensamentos, criando acontecimentos de harmonia, ignorando as aparências dos problemas actuais (que são reflexos do comportamento), aí, então, você estará no caminho da salvação e livre da sua própria ignorância que lhe causava tanta dor.
Abraço cheio de luz!

Gatapininha disse...

Boa!!!!
Falo votos para que estejamos cá todas a comemorar de 5 em 5 anos!!!

jokas

Alda disse...

Tchim, tchim, brindamos à vida, e que venham muitos mais! beijinhos

Susana Neves disse...

Parabéns!!!!

Beijinhos grandes

mariamarias42@gmail.com disse...

Tem razãoa vida é demasiado bela,a pesar de alguns momentos menos bons para não se lutar.
Apesar deeu por vezes imaginar se algo do genero me acontecesse como iria eu ter força para reagir.
Se eu me fui a baixo quando me deparei com esta situação http://geriatriaaminhavida.blogs.sapo.pt/tag/celulas+cancerigenas.
É sempre uma garnde ansiedade e agora em Setembro lá terei de ir novamente à "revisão".
Este mês foi altura de fazer a mamografia para ver se os nodulos tinham aumentado. Felizmente estão na mesma.
É bom ler quem tem tanta força.
Desejo-lhe uma optima continuação e espero que não se zangue de ter passado por aqui.