domingo, fevereiro 17, 2013

Depois de recauchutada



O Carnaval passou e as noites de brincadeira e folia não deixaram de ser gozadas e aproveitadas sem que prejuízo houvesse do que teria para fazer a seguir.
Dia dos “namorados” vai ficar na minha memória, pois mais uma cirurgia à minha nova “madalena” teve de ser feita.
Tudo isto começou no fim do verão de 2011, quando senti de um momento para o outro uma comichão e como se de uma picada se tratasse, a mama ficou irritada e um pouco mais dura. Fui fazer a consulta e nada de mais se notava, tendo na altura o médico diagnosticado uma possível capsulagem da prótese. Isto porque a comichão pode ter sido uma mordidela de um inseto, e como a prótese tem uma cápsula para proteger o silicone no seu interior, contraiu-se, provocando o endurecimento da mesma. O tempo foi passando e as coisas não foram ficando melhores, havendo cada vez mais dureza que me provocava um certo incómodo e muitas das vezes bastante irritação. Foram feitos os exames de rotina e solicitada uma RM para que se visse mais ao pormenor o que estava a acontecer. O diagnóstico foi: uma possível rutura da prótese com uma inflamação dos tecidos moles, o que levou à cirurgia para remover a dita e extrair o que de menos bem por ali estivesse.
Lá voltei ao bloco, com a minha querida equipa médica, para a substituição do que estava menos bem e retirar o que estava inflamado. Felizmente a prótese não estava rebentada, apenas inflamada a zona envolvente que foi limpa, tratada e colocada uma mamoca nova.
Agora há que esperar que drene tudo o que tem para drenar e depois de retirados os pontos e bem cicatrizada, muitas massagens para que se mantenha sempre bem.
O que uma mulher faz, quando gosta de si! É isso que todas temos de fazer. Gostar de nós e tratarmos muito bem, porque somos mulheres com M grande.

Uma das reações mais comuns após a colocação das próteses de silicone é a contratura capsular.

Mas o que é a contratura capsular
Toda vez que o nosso organismo encontra algum corpo estranho, ele tenta expulsá-lo ou então, absolve-lo. No caso da prótese de silicone mamária, o corpo cria uma cápsula em torno da prótese, para isolá-la do restante do corpo, o que causa um enrijecimento da prótese e em alguns casos, a deformidade da mama.Isso ocorre em todas as cirurgias, porém de forma despercebida. Em alguns casos, essa cápsula em torno da prótese começa a se contrair mais e apertar a prótese, ocasionando dores.

Os graus da contratura capsular:
- Grau I – a consistência da mama é semelhando a de uma mama não operada;
-
Grau II – contratura mínima – a mama fica um pouco endurecida se comparada a mama normal e sente-se na apalpação, porém não é visivel;
-
Grau III – contratura moderada – a mama já está endurecida e a prótese é facilmente palpada e a distorção dela passa a ser visível.
-
Grau IV – contratura grave – a mama já está distorcida e causando dor e incômodo a paciente.
Quando há um grande grau de contratura, o melhor a ser feito é a retirada da prótese de silicone e colocação de uma nova prótese.

A causa da contratura capsular ainda não foi esclarecida. Não se sabe o porque ocorre logo no primeiro mês, depois de 1 ano, 10 anos, apenas numa mama ou nas duas.
O que é conhecido é que as chances de ocorrer contratura capsular com implantes de são de até 30% – 40% dos casos.

 

1 comentário:

Anónimo disse...

" O que uma mulher faz, quando gosta de si !"
Li esta frase várias vezes e vou ficar a pensar na verdade que ela encerra.
Talvez encontre a coragem e o amor !
Obrigada.
Um abraço
Helena Maria Santos