quarta-feira, janeiro 16, 2008

O stress e o cancro

É por demais sabido que é frequentemente diagnosticado cancro a pessoas que sofreram, há um ou dois anos, uma grande perda ou atravessaram um acontecimento traumático. Por norma, os cancros parecem ter um longo período de "incubação", manifestando-se habitualmente entre dez a quarenta anos após a exposição inicial a um carcinogéneo, como se verifica no caso da exposição ao fumo do cigarro e do amianto. No entanto, em casos de stress ou perda, a progressão é muito mais rápida. Com base no que se sabe, sobre os efeitos do stress e das perdas no sistema imunitário, é bastante provável que, nas pessoas que sucumbem ao cancro, o processo já se tivesse iniciado antes do acontecimento perturbador. Nessa altura, o stress enfraquece de forma dramática o sistema imunitário, permitindo que o processo acelere rapidamente. Por conseguinte, vamos viver a vida com muita serenidade e tirar partido de cada dia que passa. Para todas/os vós um grande beijo e vamos tocar tudo para a frente.

6 comentários:

Anónimo disse...

Ola,sou amiga da Alda e atravez dela conheci o seu blog, e mediante este seu artigo não consegui passar sem deixar o meu comentario, porque eu sou a prova disso.
Antes de mais tenho 41anos e 2filhos k são a minha razão de viver. O 1ºcontacto c/a doença foi em 8/02 quando detectam ao meu pai carcinoma na bexiga, ate então isto só podia acontecer aos outros de seguida em 1/04 detectam carcinoma do pancreas a minha mãe que vem a falecer 5meses depois e o meu pai vai ultrapassando o problema da bexiga durante 5anos e apos lhe diagnosticarem novamente carcinoma no figado vem a falecer em apenas 1mes.
Foram tempos muito complicados para mim porque eles para mim eram imortais nada lhes podia acontecer,lidar com a doença e depois com a morte foi de loucos Neste periodo da minha vida não vivi sobrevivi, mas tinha os meus filhos e eu tinha que dar a volta por cima.
Mas neste periodo exactamente no dia(3/12/04) k a minha mãe fazia 6meses que tinha falecido eu encontrei um caroço no peito. Foi um caos completo se ja estava mal nem sei como fiquei. A situação esteve controlada ate 10/06 altura em k me dissem k tinha cancro da mama.
Nesse dia tudo parecia k tinha acabado para mim. Chorei mais nessa semana k em toda a minha vida .
O medico foi peremtorio em que seguramente tinha havido relação entre o aparecimento da doença em mim e o periodo que tinha e estava a viver, não havia qualquer caso de cancro da mama na familia.
Nessa altura estava no fundo do poço mas existiam duas crianças k precisavam de mim , eu não podia desistir como a minha querida mãe tinha sido obrigada a desistir e como sei k ela esta sempre comigo ela deu-me a força para dar a volta e foi obrigada a levantar as mangas e ser + forte k tudo . Fui operada mastectomia radical +6quimio+25radio e durante 5 anos hormoterapia.
Hoje vivo a vida com mais calma ,tendo aproveitar todos os momentos e companhia dos k mais amo e pensar que existe sempre alguem k esta pior que eu. O futuro a deus pertence.
Peço desculpa se fui morosa.
Mt.coragem, Bjs grandes
Guadalupe

Anónimo disse...

Ola Guadalupe. Gostei do seu testemunho, pois essa situação também se passou comigo. À dez anos atrás, vivi uma situação de divórcio muito complicada, com depressão associada, e desde então fui sempre muito ansiosa e stressada, pois eu acho que tem tudo a ver, porque na minha família sou a primeira a ter cancro na mama.Muita força e coragem porque somos muito mais fortes que esse bicho, e além do mais hà quem precise muito de nós. Um beijo do fundo do coração. Lucinda Maria.

Anónimo disse...

Pois muito bem!...Como não há 2 sem 3,aqui estou eu,para dar o meu testemunho...Tal como todas vós padeço do mesmo bicho,foi surpreendida por ele há um ano atrás e julgo que o espantei depois de muita luta.Temos a "consolação" de que não somos as únicas e isso ajuda a enfrentar com mais positivismo as adversidades da doença.Somos capazes de dizer ás pessoas que isto não é o fim do mundo e que temos capacidade de aceitar esta realidade e lidar com ela.É preciso gostar muito de viver e essencialmente de nós para poder ultrapassar estes maus momentos... Ainda temos muitos bons momentos á nossa espera...e estamos cá para os aproveitar...É importante esta partilha de sentimentos,ajuda-nos a minimizar o sofrimento. Para todas,coragem e força de viver... Beijinhos da AUGUSTA...

lia disse...

Olá Lucinda,sou a Lia,e acredito que à realmente uma ligação entre o stress e o cancro...vim dar aqui pelo blog da Aida, minha amiga do peito como tantas outras...beijinhos para si e para a Guadalupe e Augusta muita coragem e força para todas.

Anónimo disse...

Olá, este mês estar a completar um ano que também fui operada a um cancro na mama. Pensando de uma certa forma, isto não foi totalmente uma surpresa para mim, pois do lado da minha mãe, há muitos casos de cancro na mama na família. Mas mesmo assim, pensamos sempre que só acontece aos outros.
Tento de todas as maneiras ser forte, pois tenho um filho de oito anos que precisa muito de mim.
Tenho ocupado os meus tempos livre com a leitura.Num dos livros que li tinha umas frases que me marcaram e me fizeram pensar,por exemplos:
"Quando realmente amamos a nós mesmas, tudo na vida funciona"
" Devemos nos libertar do passado e perdoar a todos"
"A liberação do ressentimento pode remover até o cancro"
"Ressetimento críticas e culpa são os padrões mais prejudiciais para a nossa saúde"
"Cada uma das chamada "doenças" de nosso corpo são criadas por nós"
Muita força e esperança, é o que todas nós precisamos.
Beijinhos
MOSG

AllenGirll disse...

Olá! Já calculava que o stress pudesse ter um efeito devastador...e fico contente por ver tanta força e alegria na sua pessoa! :) Espero que assim continue! Encontrei o seu blog no hi5, porque hoje aderi ao grupo: "liga virtual contra o cancro"! Quero ajudar quem precisa, ainda que seja apenas com palavras de apoio. Estou solidária nesta luta! Um beijo*