terça-feira, dezembro 31, 2019

Balancear

  1. Voltar ao blogue não foi fácil! Foram várias as tentativas e até cheguei mesmo a pensar em encerrar. 
  2. O ano que hoje acaba foi menos agradável a muitos níveis. Muitas perdas de amigos e conhecidos, que o cancro vitimou. A saúde foi tramada e também não ajudou nada a superar os estados de espirito menos agradáveis. A minha inseparável Amiga de quatro patas partiu em Agosto, com quinze anos e meio, deixando o vazio na casa e na alma. Os pais vão envelhecendo e a vida vai sendo cada vez mais lenta e muito se põe em causa. É tramado.
  3. Mas há que ter esperança, porque a vida continua. A filha está bem, a realizar o seu trabalho e a ser reconhecida. A casa voltou a ganhar vida com a vinda da Lua, a nova amiga canídea e as escolhas para 2020, penso que serão as mais acertadas para que me possa sentir melhor . 
  4. Há que acreditar num Mundo melhor e fazer as escolhas certas, nas horas certas, com as pessoas certas, não deixar nada por dizer bom ou mau, ser honesto e principalmente sincero. 
  5. Por aqui vou continuar sempre com muita Vontade de Viver.

terça-feira, abril 09, 2019

Amores de quatro patas

Já é de madrugada. O sono não se faz aparecer, porque a preocupação é demasiada e os sentimentos misturam-se com a dor de ver sofrer a minha amiga incondicional.
São 15 anos de muita meiguice, cumplicidade e fidelidade, que só um ser como este consegue ter.
Tudo o que possa fazer para minimizar o que possa vir a sofrer, não sei se é o suficiente e também não sei se é isso que ela quer. Tento acalma-la para que a tosse e a respiração seja mais leve, mas em simultâneo lambe me as mãos, com muito carinho, pedindo proteção.
Não têm sido fáceis estes últimos meses, mas os últimos dias estão a ser demasiado violentos para ambas. Neste momento não sei o que será melhor ...as lagrimas escorrem me na cara, tentando aliviar a dor que vai no coração.

quinta-feira, novembro 01, 2018

Bora lá ser feliz...


Olá  Novembro.
Foram muitas as vezes que tentei voltar à escrita neste espaço que me ajudou a superar as minhas mágoas e desventuras ao longo dos últimos 12 anos. Foram momentos bons e menos bons, mas sempre ultrapassados com mais ou menos facilidade, mas que me deram estopa para estar de bem com a vida e voltar à escrita, com outros temas e mais variados. Não vai mudar de nome este blogue, até porque não faria sentido, uma vez que a Vontade de Viver é cada vez maior e com mais intensidade. Vem com outras vivencias e outras pessoas que já faziam parte da minha vida, assim como entraram posteriormente e foram muito bem vindas. 
As mudanças vão surgindo lentamente, à medida que os textos forem evoluindo. 
Conto com os vossos comentários e acreditem que podemos ser felizes.

terça-feira, setembro 18, 2018

Eu vou-te vencer, porque sou muito mais forte do que tu.

Em Abril, quando do ultimo poste, prometi que voltaria a escrever mais frequentemente, dando noticias minhas e das novidades que fossem acontecendo. Muito para fazer e a disposição não era assim tanta, para noticias que na realidade nada mais eram que simples fotos e fantasias.
Pois bem. Os exames do "magarefe" deram todos negativos, isso é que importa, mas as sequelas andam a dar que fazer! O esqueleto está a ficar fraquito, resolveu começar a virar pó, não há cola que o valha, daí muito cuidado e nada de avarias. As entranhas, um bocadito mais estragadas, mas nada que não se esperasse dos "xutos" levados. Mais uns drunfos e a coisa fica resolvida para amenizar esta ou aquela dor e quando o tempo arrefecer, volto ao hotel para mais uma estadia e ficar com umas pernocas ainda mais esbeltas, já que os meus "papagaios" são intocáveis porque estão a bicar a medula. A mama vai ter que voltar à recauchutagem, para fazer o acabamento final, agora que o organismo não rejeitou a segunda prótese.  Já lá vão doze anos e cumpri o que prometi. Para quem agora está nesta luta, há que acreditar e ter força. Nunca desistir, nunca baixar os braços e acreditar sempre, questionar, e procurar sempre. Sempre, mas sempre, eu consigo eu sou capaz.




quarta-feira, abril 11, 2018

Aprender a ser feliz. . .



Com o tempo aprendemos que para ser feliz com outra pessoa, é preciso em primeiro lugar, não precisar dela.
Amor não é envolver se com a pessoa perfeita, aquela dos nossos sonhos. Não existem príncipes nem princesas. Encara a outra pessoa de forma sincera e real, exaltando as suas qualidades, mas sabendo também os seus defeitos. O amor só é lindo, quando encontramos alguém que nos transforma no melhor que podemos ser.
O segredo é não correr atrás das borboletas... É cuidar do jardim para que elas venham até nós.

domingo, fevereiro 18, 2018

Juntos somos mais fortes

Todos juntos somos mais fortes. Esta petição é de todos nós. Ela faz sentido porque todos somos iguais, todos somos diferentes. A sociedade é feita pela inter ajuda de todos para com todos. Todos queremos continuar a desempenhar um papel activo na sociedade, mas acontece que após os tratamentos não ficamos iguais ao que éramos anteriormente. Isso faz com que tenhamos de abandonar os nossos empregos e ficar em situações precárias, ou continuamos a trabalhar em condições não dignas a nível da nossa condição física, em consequência dos tratamentos e até de amputações que nos foram feitas.  É urgente uma atualização na lei laboral no que concerne ao doente, sobrevivente oncológico e seu cuidador.
“Lúcia Monteiro, diretora do Departamento de Oncologia Psicossocial do IPO de Lisboa, lamenta o facto de "muitas empresas em Portugal não facilitarem o regresso destes doentes". A lei do trabalho "não protege o doente oncológico, que, quando fica impossibilitado de fazer esforços, por exemplo, não é reintegrado em diferentes funções".

domingo, dezembro 17, 2017

Um almoço com Carecas

A vida foi me dando amigos ao longo destes anos e fazendo com que eu ganhe cada vez mais Vontade de Viver. Ontem o dia foi carregado de emoções e partilhas apesar de nestes onze anos de luta eu já estar habituada a dar e receber, ganhar e perder! 
Mais um almoço. Mais uma ida à aventura do desconhecido e sempre na expectativa de encontrar em cada uma, um bocadinho de mim e receber mais e mais para poder continuar a ajudar e a agarrar a vida com mais força e determinação. A Rosa foi a primeira, pois levou comigo desde Ovar até ao Porto e sempre a assapar! Há coisas que não se explicam, mas esta conversa de "mamas" faz com que as barreiras sejam de imediato quebradas e tudo é tão normal e banal, como que o nosso relacionamento não fosse de momento. 
Na Marina do Freixo, onde o sol brilhava, estava um grupo de mulheres lindas à nossa espera, para nos guiar até ao maravilhoso restaurante à beira rio onde o restante grupo nos aguardava para festejar a vida e partilhar os sorrisos, os abraços, as experiências, as dúvidas e tudo o mais que nós com os nossos corações e as nossas disponibilidades podemos dar e receber. 
Para mim estas experiências já acontecem há muitos anos "felizmente" e quero que continuem a acontecer, porque o cancro apesar de ter alterado a minha vida e me ter fragilizado fisicamente, emocionalmente deu me uma força muito grande e fez me ver a Vida de uma maneira diferente. Passei a dar muito mais valor às pequenas coisas e aos sentimentos que nos enchem o coração.  A mulher mais dura e mais austera morreu e a solidariedade veio ao de cima deixando ver o que realmente estava escondido pela vida. Talvez por toda esta racionalidade e até frieza no início, tenha sido mais fácil a minha luta e só ter interagido quando terminei todo o processo de tratamento. 
Tudo era diferente. As redes sociais não existiam, apenas os blogues e pouca informação estava disponível. Mas foram eles que nos uniram e fizeram com que grandes grupos de amigas percorressem muitos km de norte a sul para grandes abraços e partilhas.
Ontem voltei a sentir como que tudo voltasse ao inicio!
Gostei da energia de cada uma. Nem todas conseguem ser tão fortes como outras, mas a entre ajuda é muito grande e senti que se dá a camisola pelo outro.
Não podia deixar de haver a tradicional prenda de natal e não foi por acaso, que eu recebi um coração bem gordinho e "encarnado". A minha sorte!
Foi bom, muito bom e vou querer repetir sempre que me for possível estar presente. 
Estamos no Natal em que todos têm um coração grande em que todos apregoam aos sete ventos pela solidariedade, mas o Natal é todo o ano e há muitas/os mas muitas/os que vão precisar de nós. OBRIGADA . BOM NATAL
  

Balancear

Voltar ao blogue não foi fácil! Foram várias as tentativas e até cheguei mesmo a pensar em encerrar.  O ano que hoje acaba foi menos ...