quarta-feira, abril 22, 2009

Será que estamos a ficar velhos?????


De acordo com os reguladores e burocratas de hoje, todos nós que
nascemos nos anos 50, 60, 70 e princípios de 80, não devíamos ter
sobrevivido até hoje, porque as nossas caminhas de bebé eram pintadas
com cores bonitas,em tinta à base de chumbo que nós muitas vezes
lambíamos e mordíamos.

Não tínhamos frascos de medicamentos com tampas 'à prova de crianças',
ou fechos nos armários e podíamos brincar com as panelas.

Quando andávamos de bicicleta, não usávamos capacetes.

Quando éramos pequenos viajávamos em carros sem cintos e airbags,
viajar á frente era um bónus.

Bebíamos água da mangueira do jardim e não da garrafa e sabia bem.

Comíamos batatas fritas, pão com manteiga e bebíamos gasosa com
açúcar, mas nunca engordávamos porque estávamos sempre a brincar lá
fora.

Partilhávamos garrafas e copos com os amigos e nunca morremos disso.

Passávamos horas a fazer carrinhos de rolamentos e depois andávamos a
grande velocidade pelo monte abaixo, para só depois nos lembrarmos que
esquecemos de montar uns travões.

Depois de acabarmos num silvado aprendíamos.

Saíamos de casa de manhã e brincávamos o dia todo, desde que
estivéssemos em casa antes de escurecer.

Estávamos incontactáveis e ninguém se importava com isso.

Não tínhamos Play Station, X Box.

Nada de 40 canais de televisão, filmes de vídeo, home cinema,
telemóveis, computadores, DVD, Chat na Internet.

Tínhamos amigos - se os quiséssemos encontrar íamos á rua.

Jogávamos ao elástico e à barra e a bola até doía!

Caíamos das árvores, cortávamos-nos, e até partíamos ossos mas sempre
sem processos em tribunal.

Havia lutas com punhos mas sem sermos processados.

Batíamos ás portas de vizinhos e fugíamos e tínhamos mesmo medo de
sermos apanhados.

Íamos a pé para casa dos amigos.

Acreditem ou não íamos a pé para a escola;

Não esperávamos que a mamã ou o papá nos levassem.

Criávamos jogos com paus e bolas.

Se infringíssemos a lei era impensável os nossos pais nos safarem.

Eles estavam do lado da lei.

Esta geração produziu os melhores inventores e desenrascados de sempre.

Os últimos 50 anos têm sido uma explosão de inovação e ideias novas.

Tínhamos liberdade, fracasso, sucesso e responsabilidade e aprendemos
a lidar com tudo.

És um deles?

Parabéns!

Passa esta mensagem a outros que tiveram a sorte de crescer como
verdadeiras crianças, antes dos advogados e governos regularem as
nossas vidas, 'para nosso bem'.

Para todos os outros que não têm a idade suficiente , pensei que
gostassem de ler acerca de nós.

Isto, meus amigos é surpreendentemente medonho... E talvez ponha um
sorriso nos vossos lábios.

A maioria dos estudantes que estão hoje nas universidades nasceu em
1986, ou depois. Chamam-se jovens.

Nunca ouviram 'we are the world' e uptown girl conhecem de westlife e
não de Billy Joel.

Nunca ouviram falar de Rick Astley, Banarama ou Belinda Carlisle,
entre muitos outros.

Para eles sempre houve uma só Alemanha e um só Vietname.

A SIDA sempre existiu.

Os CD's sempre existiram.

O Michael Jackson sempre foi branco.

Para eles o John Travolta sempre foi redondo e não conseguem imaginar
que aquele gordo tivesse sido um deus da dança.

Acreditam que Missão impossível e Anjos de Charlie, são filmes do ano
passado.

Não conseguem imaginar a vida sem computadores.

Não acreditam que houve televisão a preto e branco.

Agora vamos ver se estamos a ficar velhos:
1. Entendes o que está escrito acima e sorris.
2. Precisas de dormir mais depois de uma noitada.
3. Os teus amigos estão casados ou a casar.
4. Surpreende-te ver crianças tão á vontade com computadores.
5. Abanas a cabeça ao ver adolescentes com telemóveis.
6. Lembras-te da Gabriela (a primeira vez).
7. Encontras amigos e falas dos bons velhos tempos.


SIM ESTÁS A FICAR VELHO HEHEHEHE
Mas tivemos uma infância do caraças.
Este email foi-me enviado por uma amiga, uma guerreira. Retrata o antes e o agora. As nossas gerações e as dos nossos filhos. Suprimi o ponto oito, (repassa este email) porque não repassando e postando, mais pessoas têm a possibilidade de o lerem e tomarem consciência da realidade, que por vezes, descuramos por falta de tempo, em relação aos nossos filhos.




7 comentários:

Anónimo disse...

Nem mais,

Revejo-me totalmente neste texto, nasci numa aldeia, em casa e fui criado, com os meus irmãos, por lá entre pinhais, vinhas e searas

Não tinha electricidade nem água canalizada, ainda hoje guardo o candeeiro de petróleo da minha mãe

Televisão só em dias muito especiais e era na mercearia / Taberna

Curioso, apesar de tudo tenho saudades desse meu tempo de meninice

Isto de sermos adultos responsáveis é uma seca

Beijo Gandi

CP

IsaLenca disse...

Por isso é que vim viver para o campo- é mais fácil deixar que os meus filhos possam fazer algumas das coisas : andar de bicicleta, o Tiago faz os carrinhos de rolamentos e vai contra as silvas- aquelas pernas parecem os montes com tanto arranhão e nódoa negra(dele e mais 2 para os amigos pois os pais dos outros meninos não lhes ensinaram), andar com enchada na mão, andar e tratar do cavalo, do cão, brincar na rua.... Ensinei o mesmo à minha filha mas ela é mais novas tecnologias e TV. Engraçado como tentamos transmitir os valores aos filhotes e depois eles são tão diferentes!!
E mais estranho ainda foi no 1º ciclo, andava o Tiago no 2º Ano, e eu fui chamada à escola para explicar porque é que ele tinha escolhido o desenho diferente dos outros meninos - assinalou os meninos a brincarem na rua (as outras opções eram em frente à televisão e a brincarem no quarto). Ou seja, até os professores ajudam "à festa"!

Bjs

Lina Querubim disse...

Boa tarde :)

Olha filha...duas palavras depois de ler isto: TOU VELHA!
ihiihihihihi
Adorava esse tempo!

Beijokas

Cinda disse...

Pois eu também adorava esse tempo...mas ainda sou das previligiadas porque continuo a respirar o ar puro do mar e do pinhal, a ensinar à minha filha as coisas boas que eu tive, a brincar com as minhas sobrinhas, como eu fazia e como continuo a ser um bocadinho malandreca, às vezes ainda faço a malandrice de andar a tocar nas campainhas hihihihi
Como é bom viver junto da natureza..........

Ana Paula disse...

Estou velha não... porque velhos são os trapos, tenho sim uns aninhos (48) e por sinal bem vividos.
Fui uma previlegiada pois a minha infância foi toda vivida ao ar livre em Angola, só soube o que era televisão aos 14 anos quando vim viver para Portugal. Hoje é impensável vivermos sem televisão, computador,telemóvel, etc...mesmo se não sou muito de tecnologias, como diz a minha filha mais nova sou uma cota.
Outros tempos...
Beijinhos para todas e o que importa não é a idade mas sim a saúde!!!

Paulo Azevedo disse...

Já conhecia este texto e passei por tudo isso...
Além disso comia pão com manteiga e açúcar, comia Toddy directamente dos pacotinhos, gelados todos os dias no Verão, etc., etc....
E ainda por cima era LIVRE, coisa que a maior parte dos nossos filhos, hoje, não pode ser, infelizmente...

Linda disse...

Pois... eu também faço parte dos velhos(será)!
Mas que bons tempos aqueles... Eu também me sinto privilegiada pois apesar de viver na cidade ainda tenho qualidade de vida, tenho o Mar de um lado e a serra do outro.
E sim... também sou um pouco malandreca... Ahahahhaah


Bjs
Linda