segunda-feira, julho 05, 2010

Quatro anos depois...

Quarta-feira, 5 de Julho de 2006, nove horas da manhã. A enfermeira entra e diz: D. Lucinda vai descer para exames. Como sempre, com uma óptima disposição, lá fui até ao piso da emagiologia, para fazer as marcações antes da operação. No dia anterior, já tinha feito a marcação do gânglio sinaleiro, apenas era necessário fazer o designado arpão para serem feitas as incisões. Aquele tempo de espera de quase três horas foi sereno, sempre bem-disposta e confiante no que se iria seguir. Por volta do meio-dia, lá entrei para o bloco. Como sempre tive a curiosidade de saber o que era cada coisa que ia observando. O pessoal hospitalar sempre muito atencioso,  alinhou com a minha boa disposição. Antes de receber a anestesia, ainda pude dizer á médica que em vez de um tumor, no momento já eram três. Ouvi as explicações aos assistentes, ainda refilei com a colocação do medidor de tenções por estar no braço que ia ser intervencionado e logo depois foi só contar até três. Cerca de seis horas depois, acordei e já não tinha o malfadado bicho, mas também a minha mama e os 28 gânglios linfáticos tinham sido extraídos. Naquele momento o impacto foi brusco, mas logo de seguida perguntei quando podia ter uma mama nova. Subi à enfermaria, onde tinha os meus pais e as companheiras à minha espera. Sempre bem-disposta, assisti ao jogo de futebol Portugal x França, onde fomos eliminados e bem roubados pelo árbitro. No dia seguinte já andava a fazer a visita às enfermarias e a passear os bobys. No sábado tive alta e lá vim para casa com os meus amigos. Seguiram-se uns dias menos agradáveis, porque após a retirada dos denos, ainda segregava muito seroma e de dois em dois dias lá ia ao hospital para o retirarem com uma seringa. Por fim já nem precisava da enfermeira, era eu que ajudava a médica. O calor era muito e não ajudava nada. Com o braço muito preso, seguiram-se sessões diárias de fisioterapia durante quase três meses. No dia dez de Agosto, fiz o primeiro de seis tratamentos de quimioterapia, divididos por dois ciclos diferentes. Quinze dias após o 1º, já o cabelo dava sinais de fraqueza e então decidi rapar e começar a usar os meus lindíssimos lenços que tinha comprado para o efeito. Em Dezembro, começaram os tratamentos com hormonoterapia e a terrível injecção mensal.

Hoje, quatro anos depois ainda continuo com os memos tratamentos, passando a injecção a ser trimestral e o comprimido diário. Exames e análises de três em três meses, mas já com a mama nova ainda não acabada, mas certamente ainda será durante este verão.

A barreira dos cinco anos ainda não foi ultrapassada, daí esta necessidade de partilhar com todos vós, estes quatro anos vividos um dia após o outro e que vão ser sempre assim, com muita força e muita vontade de viver e vencer.

14 comentários:

Anónimo disse...

Minha querida Cinda, não sei se do adiantado da hora, se do excesso de trabalho em que tenho estado rodeada, se do cansaço provocado pelos dois factores anteriores... Se por gostar tanto de si...
Só sei que a li e reli de lágrimas nos olhos, cheia de alegria por si... Ao mesmo tempo que não deixava de pensar no que a Cinda teria pensado na época, bem como a sua linda filha... Já falámos disto no face e uma vx ao telefone... Partilhámos medos, anseios como Mães, ainda que com problemas diferentes.
Tal como lhe disse no Face, apatecia-me ir aí dar-lhe um abraço a correr e voltar...
Tenho tanto gosto em ser sua amiga, em conhecer uma pessoa tão fantástica e exemplar.
Muitos, muitos beijinhos meus.
Teresa Leitão*

Gatapininha disse...

Olá Cinda
Falta pouco para ultrapassares a barreira "psicológica" dos cinco anos, mas com essa boa disposição e alegria de viver, nem vais dar pelos meses passarem e logo estarás aqui a comemorar connosco mais essa vitória:)

jokas

Linda disse...

Bem, não vale a pena estar aqui blá blá blá blá...
Tu és aquela máquina!!! Com pilhas ou sem pilhas vais ser sempre uma vencedora!

Beijo grandeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee

Linda

Nela disse...

Pois é, Maria Laurinda. O tempo vai passando e a segurança aumenta. E nós a festejar!
Não tarda, estamos de fralda, de bengala e se nos perguntarem se estamos bem, respondemos: Ah? O quê? Fala mais alto!!!! Doente? Doente de quê??? Cancro??? Que é isso???

Pois, é o Alzheimer...

Alda disse...

Minha querida,
Li emocionada este texto, tão familiar, e tão igual!!! Ao ler que 6 horas depois acordás-te e viste o jogo, e apesar de já saber, não pude deixar de rir, és mesmo CTurbo!!! Eu agarrei de tal modo a anestesia, que só acordei no dia seguinte, mas acordei muito bem !!!
Tu vais passar todas as barreiras, e eu quero cá estar para brindar contigo! A ti, a mim, e a todas as nossas amigas!

Beijinhos grandes, e um dia muito feliz!!!

Teresa disse...

Querida Cinda, és de facto uma força da Natureza. Como já te disse antes, és uma inspiração para todas nós que passamos pelo mesmo. Eu vou fazer dois anos disto mas persigo-te como uma lapa e acredito que com tanta vontade e energia, estás mesmo a vencer.
Beijinhos, beijinhos
TeresaP

Isa disse...

Parabéns Cinda por teres vencido esse gajo que pensava que ia levar a melhor! Parabéns pelas novas mamocas que estão quase prontinhas e parabéns por teres sido a 1ª pessoa a comentar no meu blogue, que fez com que ganhasse coragem para conhecer tantas mulheres fantásticas!...
Obrigada Cinda e parabéns.

Anónimo disse...

Márcia disse;

Cinda,como ficamos felizes com notícias dessas,e tens mesmo que comemorar.Parabéns grande Guerreira!
É um grande exemplo para nós!
Que Deus continue te abençoando,Cinda,com muitos anos a serem comemorados,com muita saúde,essa alegria contagiante!
beijinsss

IsaLenca disse...

Olha...o meu PC está parvo...é a terceira vez que tento comentar.
Enfim, apenas para te dizer que nestes quatro anos ganhaste também muitas amigas e eu sou uma das Amigas que quer estar por aqui, junto de ti, a festejar...até sermos caquécticas...como diz a Nela!
És um exemplo, mesmo para quem nunca teve o bicho como eu: há que aproveitar os bons bocados que diariamente se nos atravessam à frente, não ligar ao que não interessa e ter muita força e vontade de viver SEMPRE!
Bjs

Susana Neves disse...

Ah grande mulher.

Sou apenas mais uma, das muitas, que arranjou força ao ver o teu exemplo.

Obrigada

PS Quanto ao amigo da tua filha, estou disponível, claro. Não passei por tudo em vão,se puder ajudar já valeu a pena~

Beijinhos

Carmen (de Bizet) disse...

Logo, logo estás nos cincos anos e depois nos dez e qd deres por ela estás velhinha e ainda toda gaiteira.
Um beijo e porta-te bem.

Natália disse...

Olá Cinda
Acho que já foi tudo dito
ès uma força da natureza,uma Mulher de armas,sempre alegre e pronta a nos dares aquele empurrãozinho que precisamos naquela hora. vão vir cinco x muitos e muitos cinco,e nós aqui a comemorar isso tudo com ou sem bengala,mas sempre divertidas.
Beijinhos

Gigi disse...

Lucinda, tu és aquela força, aquela alegria e tenho a certeza que por seres como és conseguiste vencer.

Eu aqui ao teu lado só posso agradecer ter-te conhecido.

Um abracinho muito forte.

Anónimo disse...

Parabéns, é muito bom ver os anos passar e continuar a viver com alegria.
Passei pelo mesmo vai fazer 10 meses e 4 anos parece tanto tempo!!!
Este destemunho é muito importante para poder acreditar que também vou conseguir viver muitos anos mas às vezes há dias complicados...
Muitas felicidades